É exatamente isso que você leu no título desta matéria. Nada está confirmado e nada foi apurado, mas as informações vindas de um suposto desenvolvedor que trabalha no próximo Assassin’s Creed teriam vazado no site 4chan e estão em amplo debate neste exato momento no NeoGAF. Pode ser que não vejamos um Assassin’s Creed canônico este ano, só em 2017 – e bem diferente do que todos imaginam.

De acordo com as informações vazadas, a próxima entrada da série se passará no Egito Antigo, muito antes da existência de assassinos e templários, pressupondo uma prequel de todos os AC lançados até aqui.

Segundo o desenvolvedor, o jogo terá uma pegada ao estilo de The Witcher, com progressão do personagem por níveis (algo não exatamente inédito na franquia, convenhamos), combate ainda mais livre, o retorno do cavalo e de barcos.

Confira algumas palavras do suposto desenvolvedor

A conversa postada no NeoGAF tem um cheiro estranho. A equipe estaria abrindo mão de se prender a documentações e fatos históricos para ter mais “liberdade”. Mas isso vai exatamente contra os princípios de Assassin’s Creed, não? A série sempre utilizou riqueza histórica para dar vida às narrativas.

“Egito Antigo. Eles querem a menor quantidade de documentação histórica para ter liberdade. A história se passa antes da existência dos Assassinos e dos Templários. Isso é basicamente uma prequel a todos os ACs. (...) Tem muito mais história que qualquer um dos outros. Acredito que será menos reciclado, o que é bom. Você joga como um escravo ou ex-escravo que se parece muito com o Altair, mas com pele mais escura”, afirmou.

Trilogia com o mesmo personagem?

A saga de Desmond Miles (SPOILER a seguir) terminou em Assassin’s Creed 3, quando o personagem morreu num ato de sacrifício heroico. O desenvolvedor diz que o protagonista do novo game pode ganhar uma trilogia própria.

“A parte naval é um mistério para mim. Há conversas sobre fazer uma trilogia com o mesmo personagem, então eles podem explorar Grécia/Roma posteriormente”, revelou.

Ele ainda disse que várias das mecânicas estão sendo feitas “do zero” e que o projeto não está “nem próximo do Alpha ainda”.

Desnecessário dizer que devemos encarar tudo isso como um rumor gigantesco, certo? Muitos clamam pela não anuidade de Assassin’s Creed e que a série precisa de novo fôlego, mas um jogo que não está fiel a documentações históricas contraria alguns dos princípios da franquia.

De qualquer maneira, vale ficar de olho. O que vocês acham?

Novo Assassin’s Creed pode sair só em 2017 e se passar no Egito Antigo! Discuta o assunto no Fórum do TecMundo Games.