Chega a ser um pouco clichê dizer que o mercado brasileiro de games caminha a passos lentos. Falta muita coisa acontecer para que nossos desenvolvedores comecem a ter a mesma visibilidade de grandes estúdios gringos, incluindo um ecossistema educacional apropriado, mais profissionais capacitados, incentivos financeiros e maiores oportunidades de divulgação.

Quem estiver passando pela Brasil Game Show 2014 (que está aberta até o dia 12 de outubro) pode conferir de perto uma nova iniciativa que visa incentivar a popularização de obras nacionais e divulgar os talentos que nós temos aqui.

Estamos falando da ThinPlay, uma marketplace aos moldes do famoso Steam, mas que publica exclusivamente games produzidos por brasileiros. O serviço é recente: tendo sido idealizada pela ThinKkers, empresa de capital privado focada no desenvolvimento de negócios digitais, a ThinPlay começou a ser desenvolvida no início deste ano e foi lançada oficialmente nesta quarta-feira (8), primeiro dia da BGS 2014.

O empurrão que o Brasil precisa

O objetivo da ThinPlay é simples: centralizar em um só local todas as melhores obras criadas por desenvolvedores brazucas, oferecendo um espaço para que eles possam se comunicar com seu público e auxiliando na divulgação dos talentos publicados na loja. Indo além dos games para PC, a plataforma contará também com uma marketplace de jogos móveis, que serão distribuidas através de um aplicativo dedicado para dispositivos com sistema operacional Android.

Além disso, a empresa promete oferecer uma enorme variedade de formas de pagamento diferentes, incluindo a possibilidade de utilizar os créditos de seu celular para adquirir os games mobile encontrados no marketplace. Outro diferencial da plataforma é sua forte parceria com a mídia internacional para divulgar suas obras não apenas no Brasil, mas também em vários países ao redor do globo.

Durante a BGS 2014, nossa equipe teve a oportunidade de conversar com João Mendes Neto, um dos fundadores da ThinKkers, que contagia o público da feira com muita animação e bom humor. "Nós acreditamos no mercado de jogos, vimos que existia uma oportunidade muito grande e pensamos em lançar a ThinPlay", conta o executivo, ao ser questionado sobre como foi a fundação da plataforma.

"E então chamamos o Cleber, que é desenvolvedor, é professor, é alguém que conhece o dia a dia de um desenvolvedor e conhece suas dificuldades". João refere-se à Cleber Tavares Jr. um dos diretores da marketplace, que também está presente em todos os dias do evento. Quem visitar o estande e se registrar na plataforma ganha imediatamente um jogo grátis como um presente de boas-vindas: essa é a forma que João e Cleber encontraram de dar o empurrão inicial no público gamer em direção aos jogos nacionais.

João Mendes Neto, um dos fundadores da ThinKkers

Muito mais do que uma simples loja

De acordo com João, uma das coisas mais gratificantes que sua equipe está presenciando durante a BGS 2014 é a surpresa dos jogadores ao descobrir que determinado título foi desenvolvido por um estúdio nacional. "Isso deixa a gente muito feliz, porque são games que queremos mostrar ao Brasil inteiro", afirma. Ao ser questionado sobre as vantagens de sua plataforma em relação ao Splitplay, outro marketplace para indies brasileiros, João é categórico: "Temos muito respeito pela Splitplay e iniciativa deles, mas nós somos mais do que uma loja".

Após afirmar que a ThinPlay é "mais do que uma loja", o executivo aponta todos os recursos secundários presentes na plataforma que, de fato, podem ser considerados diferenciais interessantes. Um deles é o DevChannel, que dá um canal ao desenvolvedor e lhe permite lançar atualizações diversas para os seus fãs seguidores, como uma espécie de rede social. Dentro de seu canal, o estúdio pode também colocar produtos físicos à venda, como camisetas, chaveiros e outros brindes relacionados ao seu jogo.

"Outro diferencial são as formas de pagamento, que incluem créditos de telefone, cartões de crédito e débito, boleto e até mesmo GiftCards", aponta. A estimativa é que os cartões de presente estejam disponíveis em mais de 2 mil lojas ao redor do Brasil, sendo que a plataforma já tem parceria com algumas redes varejistas como Americanas, Saraiva, Extra e Walmart. "Queremos levar isso para as prateleiras. Ainda não lançamos o sistema de vendas, mas acredito que dentro de um mês e meio os cartões já estarão disponíveis nas lojas".

Pixel Rift, para Oculus Rift, será um dos títulos que futuramente serão lançados na plataforma

Obras nacionais para toda a família

Ainda que esteja dando seus primeiros passos, a ThinPlay já conta com parcerias invejáveis e um catálogo atraente de títulos para computador. Alguns deles, como o premiado Aritana e a Pena da Harpia, já estão disponíveis para compra imediata. Mas o consumidor já pode também fazer a pré-compra de obras ainda em desenvolvimento, como Chroma Squad (dos mesmos responsáveis por Knights of Pen and Paper) e Toren (que ficou famoso por ter sido beneficiado pela Lei Rouanet).

João ressalta que as negociações com estúdios independentes estão a todo vapor e algumas novidades bem interessantes estão vindo para a plataforma. Um bom exemplo disso é Pixel Rift, jogo de realidade virtual que utiliza a plataforma Oculus Rift e está sendo elaborado pela programadora Ana Patrícia, sozinha. "Queremos levar todos os games ao mesmo patamar, investir em marketing e divulgá-los para o mundo todo".

E não duvidamos que eles consigam. A ThinPlay possui uma forte parceria com a Globo Internacional, sendo este o veículo oficial responsável por divulgar os jogos da plataforma no Brasil e no mundo. "Estaremos em 23 países, além de ter presença nacional. Estaremos no horário nobre, falando com a mãe, com a tia, com a criança, com todo mundo. É o que a gente quer: temos que levar tudo isso para as casas, queremos mostrar que existem ótimos jogos brasileiros para toda a família", finaliza.