A Fantasy Flight Games anunciou na última quarta-feira (9) um novo board game da Fallout que parece muito adequado para o contexto político atual. Afinal, diante de um potencial conflito armado entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, que pode trazer consequências devastadoras, já é bom ir se acostumando com um cenário que mostra como sobreviver a um mundo que foi vítima de uma catástrofe nuclear.

Programado para o final de 2017, o jogo tem como cenário o universo devastado de Fallout pouco após a Grande Guerra de 2077. Nele, quatro jogadores procuram por tesouros e aventuras nas terras devastadas, o que envolve explorar vaults, vasculhar acampamentos e decidir quais facções devem ser tratadas como aliadas ou inimigos.

A Fantasy Flight promete que o board game vai ter uma história, mas que não será precisa segui-la à risca graças a uma série de missões paralelas. O sistema de jogo vai ser uma adaptação do S.P.E.C.I.A.L criado pela Bethesda, sendo que vai ser possível jogar como um Wastelander, um Super Mutant, um membro expulso da Brotherhood e até mesmo como um Ghoul.

Cada classe possui habilidades e restrições diferentes: o membro da Brotherhood pode usar armaduras pesadas, enquanto o Ghoul não tem que se preocupar com a radiação. O lançamento vai acompanhar quatro cenários — The Pitt, The Capitol Wasteland, The Commonwealth e Far Harbor —, que servem como palco para missões variadas.

A intenção da Fantasy Flight é que você volte diversas vezes aos mesmos locais para participar de aventuras diferentes ou para tentar uma nova tática em um contexto já conhecido. Fica a expectativa de que, entre as miniaturas do título, exista pelo menos uma vaca de duas cabeças e alguns escorpiões de tamanho desproporcional.