A série Marvel vs. Capcom passou por poucas e boas nos últimos anos. Após o terceiro game da série trazer as batalhas entre os heróis do mundo de Street Fighter e Mega Man contra o universo de Homem-Aranha e seus amigos depois de tantos anos, os fãs acabaram se sentindo abandonados quando a Capcom foi forçada a retirar os jogos das lojas graças ao fim de seu contrato com a casa das ideias.

Mas a situação mudou nesse sábado (3), quando a Marvel e a Sony apresentaram, no palco da PlayStation Experience, a nova aposta na franquia: Marvel vs. Capcom: Infinite.

Ao final da Capcom Cup, o campeonato mundial oficial de Street Fighter V, a empresa finalmente apresentou o trailer oficial de gameplay do novo crossover. E, felizmente, nosso apresentador e redator Guilherme Sarda pôde assistir ao vídeo e conversar com os desenvolvedores horas antes do anúncio oficial. Abaixo você confere todos os detalhes que estarão presentes no novo game de luta da empresa!

2x2 e Gemas do Infinito, uma volta às raízes

Marvel vs. Capcom: Infinite é um reboot da franquia "versus" da Capcom, voltando às raízes do jogo em todas as suas formas. O modo de jogo é "2 contra 2", como colocou Bill Rosemann, diretor criativo da Marvel Entertainment por trás da criação da história do título. O jogo terá um foco pesado em história e eles pretendem inaugurar uma nova era de campanhas single player focada em narrativa cinematográfica nos jogos de luta.

Os profissionais da Capcom disseram que aprenderam com os erros de Street Fighter V e acreditam que, com o envolvimento da Marvel, esse lado do título vai surpreender.

Já do lado da Capcom, temos o produtor Mike Evans, envolvido nos títulos Ultra Street Fighter IV, Street Fighter V e Marvel vs. Capcom 3; além de Peter Rosas “Combofiend”, ex-jogador competitivo de Marvel vs. Capcom e hoje diretor de batalha da empresa. Peter é um dos nomes mais importantes da história dos jogos Marvel vs. Capcom e ele está diretamente envolvido com o gameplay desse game.

Falando em gameplay, além dos personagens, cada jogador pode escolher também uma Gema do Infinito, as Infinite Stones, que alteraram o gameplay de seu personagem, e dar a ele novos poderes. No trailer apresentado, Ryu se utiliza da Power Stone para dar muito mais dano em seus golpes. Já a Capitã Marvel escolhe a Time Stone, garantindo a ela muito mais velocidade.

Essas Stones não funcionam de maneira passiva e precisam ser ativadas pelo jogador. Sem confirmar um esquema preciso nos controles, os desenvolvedores mencionaram que teremos um botão dedicado a elas e, além das ativações dos seus poderes, os jogadores poderão também “estourar” as gemas para mudar o ritmo da partida e garantir grandes viradas.

Os personagens, as decisões

Todos os envolvidos no projeto são grandes apaixonados pelo legado das duas empresas. A Capcom ouviu os fãs — que colocaram Mega Man X como o personagem mais pedido para o jogo —, e os desenvolvedores estão muito felizes em colocar alguém tão icônico na história da empresa como destaque do jogo.

Da mesma forma, a Marvel escolheu o Homem de Ferro por ser o personagem mais famoso da marca no mundo hoje, o que garante que muitos prestem atenção no jogo. Mas, ao mesmo tempo, a Capitã Marvel foi escolhida porque, para a empresa, a personagem representa tudo o que eles querem mostrar como um ícone e modelo de herói da Marvel. Sua presença no jogo é uma forma de abrir alas para grandes planos para a personagem, e eles esperam que os jogadores possam conhecer mais dela através dos seus combates.

Novas ideias de velhos conhecidos

A série "versus" já teve grandes títulos, como X-Men: Children Of The Atom, X-Men vs. Street Fighter e tantos outros. A Capcom está orgulhosa de afirmar que esses profissionais do Japão estão diretamente envolvidos no novo jogo, especificamente em áreas como design de interface e gameplay. No geral, o painel de profissionais envolvidos em Infinite é mais parecido com os dos jogos tradicionais do que com o time de Ryota Niitsuma, responsável por Marvel vs. Capcom 3.

A Marvel fez questão de deixar claro que está muito preocupada com a história. Eles querem que os jogadores entendam os motivos pelos quais Ryu está lutando com Iron-Man e chegaram a comparar que essa história será tão ambiciosa quanto a Guerra Civil, que colocou o Capitão América contra o Homem de Ferro. Eles querem que a história e principalmente o Modo História desse jogo seja algo nunca feito pela empresa japonesa.

Mudanças corajosas para deixar todo mundo feliz

Infinite sabe que está fazendo grandes mudanças, principalmente ao simplificar o modo de jogo. Mas os desenvolvedores acreditam que isso será melhor tanto para novos jogadores quanto para veteranos. A mudança para dois contra dois, o sistema de gemas e, principalmente, uma preocupação absurda com a parceria entre esses personagens fazem parte do núcleo de desenvolvimento do game.

O funcionamento das Stones foi comparado ao dos Grooves de Capcom vs. SNK 2. Para Combofiend, as gemas são mais impactantes do que um terceiro personagem porque elas mudam completamente o funcionamento dos times. Dessa forma, três jogadores que utilizam os mesmos personagens — mas com gemas diferentes — vão jogar e assistir na tela a situações também totalmente diferentes. Elas alteram tudo.

Personagens lentos podem usar a Time para serem rápidos, enquanto um personagem pesado, lento e sem magias pode passar a ter habilidades especiais ao usar uma Stone especial. Nota: essa Stone não foi revelada hoje, mas deve ser a Reality.

E os X-Men?

Os profissionais sabem dos boatos que afirmam que não teremos X-Men no jogo, mas não confirmaram se eles virão ou não. Ao mesmo tempo, eles claramente afirmaram que sabem do legado que bonecos como Tempestade, Cyclops e Wolverine possuem na história da série Versus e não querem deixar isso de lado. Deu para perceber um interesse em trazer os X-Men para o jogo, mas uma relutância em revelar agora, seja pelo fator surpresa, seja por uma limitação legal.

Marvel vs. Capcom: Infinite sai em 2017 e está em desenvolvimento há bastante tempo, a ponto de eles estarem seguros da qualidade do pacote como um todo. Segundo o que foi apresentado, o trabalho para evitar vazamentos até agora foi grande, e eles estão felizes que tudo deu certo.

Mas pô, tragam o Logan.

O texto e as entrevistas foram realizadas pelo apresentador Guilherme Sarda e revisados pelo redator Maximilian Rox. Sarda está presente na PlayStation Experience em Anaheim, nos Estados Unidos.