Apresentado somente na forma de um trailer durante a conferência da Electronic Arts, FIFA 18 foi apresentado em estado jogável durante a Fanfest promovida no evento EA Play. Tive a oportunidade de jogar duas partidas do game, que, embora pouco, foram suficientes para reconhecer diversas mudanças feitas pelos desenvolvedores.

Não se engane: o novo capítulo não apresenta qualquer espécie de revolução, mas sim o refinamento de uma fórmula que tem funcionado muito bem nos últimos anos. Além das esperadas mudanças de interface, a EA Sports realizou alguns aprimoramentos visuais leves e apostou em um ritmo diferente dentro de campo.

Jogabilidade mais cadenciada

Seguindo a linha estabelecida por FIFA 18, o novo capítulo da franquia apresenta jogadores um pouco mais “pesados”, no sentido que seus movimentos respeitam mais as leis da física do mundo real. Isso resulta em uma certa estranheza inicial, mas logo fica claro que a mudança foi necessária para permitir que o jogo de corpo ganhe importância ainda maior nas partidas.

Durante a partida, você realmente consegue sentir a imponência física de um jogador como Benzema ou Sérgio Ramos, que usam seus ombros e porte para afastar as investidas de jogadores menores. Em compensação, figuras mais esguias como Griezmann tem a velocidade como arma para destruir defesas e abusar dos dribles.

Na prática, isso resulta em partidas nas quais o toque de bola está ainda mais importante do que no passado - e também mais difícil. Acostumado com os sistemas de FIFA 17, me surpreendi ao errar passes e lançamentos que funcionavam de maneira certeira no título - o que não foi necessariamente ruim, já que isso me obrigou a ficar mais atento ao que fazia e a reaprender como jogar um pouco.

Ainda não consigo dar um veredito preciso se prefiro as mudanças ou o jogo em seu estado anterior, até mesmo pelo fato de que joguei pouco e o ambiente da EA Play não era propício a análises mais aprofundadas. No entanto, considero bom ver que a EA Sports está tentando encontrar meios de aprimorar cada vez mais seu trabalho e não cair na mesmíce.

Novidades dentro e fora de campo

Durante meus testes, também consegui sentir uma mudança imediata nas apresentações do game. A desenvolvedora mudou bastante as cenas de entrada em estádios, os ângulos adotados durante os replays de gols e até mesmo as opções de comemorações - a torcida, embora ainda não esteja perfeita, também ganhou um novo nível de detalhes.

No entanto, o que mais me chamou a atenção foi um novo sistema que permite realizar substituições rápidas quando a bola saiu de jogo. Ao apertar o botâo ¨R2¨ do PlayStation 4 (plataforma usada durante a exibição), o título seleciona um atleta com pouca energia e um substituto considerável a altura, cabendo a você decidir se vai trazê-lo ou não para dentro do campo.

Não consigo dizer se esse é um sistema que pode ser desligado ou qual seu nível de precisão, mas as sugestões funcionaram muito bem enquanto eu usava o elenco do Real Madrid. A novidade não substitui o planejamento cuidadoso da composição de seu time, mas deve servir como algo conveniente para quem deseja escapar da necessidade de abrir os menus de configuração.

E o Switch?

A versão de FIFA 18 para Switch também estava presente na EA Play, mas infelizmente não tive a oportunidade de testá-la pessoalmente. No entanto, já consegui tirar algumas conclusões a partir do que consegui ver: e elas não são exatamente boas para quem faz questão de ter em mãos as últimas novidades preparadas pela EA Sports.

Visualmente o jogo está bonito, mas não chega nem perto de ter a qualidade da versão baseada na Frozenbyte. Da mesma forma, a jogabilidade parece estar um tanto diferente do lançamento para os outros consoles, apresentando um ritmo um pouco mais rápido na troca de passes e nos ataques.

Em outras palavras, parece que temos em mãos alguma espécie de edição Legacy, sinal de que a EA está investindo de forma cuidadosa na plataforma da Nintendo. No entanto, isso pode não ser necessariamente um problema caso essa seja tratada como uma versão portátil do game, caso no qual ela seria muito superior ao que é oferecido por qualquer outra plataforma do tipo.