A revelação de que Laracna terá uma forma humana em Terra-Média: Sombras da Guerra pegou muitos fãs das obras de Tolkien de surpresa. Isso porque, enquanto nos livros ela surge como uma aranha gigantesca com comportamentos irracionais, no jogo ela aparece como uma mulher sedutora que narra a aventura do protagonista Talion.

Na série "O Senhor dos Anéis", ela aparece no volume "As Duas Torres" como uma aranha gigantesca que vive na região de Cirith Ungol, dentro de Mordor. Ela consegue capturar Frodo e quase acaba com a aventura do hobbit, mas é detida por Samwise Gamgee, que consegue obter o Um Anel de seu companheiro (que ele acreditava estar morto) e usa a espada Ferroada e o "Frasco de Galadriel" (objeto que emite luz em regiões escuras) para derrotá-la.

Em uma entrevista concedida ao site Eurogamer, o vice-presidente criativo da Monolith, Michael de Plater, explicou os motivos para a mudança — se embasando nas obras de Tolkien no processo. Segundo ele, Laracna, tal qual sua mãe Ungoliant, é um espírito das trevas que tomou a forma de uma aranha para provocar medo, mas que tem o poder de aparecer de qualquer maneira.

O desenvolvedor explica que a personagem possui uma relação de amor e ódio com Talion e Celembrimbor graças ao novo anel de poder criado pelo elfo. Segundo de Plater, ele representa “essa coisa que ela tem um relacionamento de amor e ódio”, tal qual Ungoliath tinha com as Silmarils, joias criadas pelo lorde élfico Fëanor durante a Primeira Era do universo de Tolkien.

Figura repleta de dualidades

Segundo o vice-presidente da Monolith, Laracna vai ter papel muito importante em Sombras da Guerra, tal qual Gollum. Ele acredita que essas duas figuras são os heróis não creditados de Senhor dos Anéis, tendo guiado os acontecimentos de forma que as figuras consideradas heroicas não teriam conseguido.

De acordo com de Plater, Laracna sentiu a fraqueza em Frodo e incentivou Gollum a persegui-lo por saber que somente ele teria o que era necessário para destruir o Um Anel. “Uma grande parte do que fizemos foi olhar para esses personagens nessa zona cinzenta — eles não são puros como Gandalf ou Aragorn, eles são mais humanos”.

“Então você tem a Laracna representando a escuridão e Galadriel representando a luz, há uma dualidade entre essas duas mulheres poderosas opondo uma a outra da mesma forma que há muita dualidade em nosso game”, explica de Plater. “O que diferencia Laracna é que ela é completamente honesta... Então ela é maligna, ou percebida como tal, mas ela tem essa honestidade, e começamos a pensar nela como esse espelho maligno de Galadriel e preenchemos o papel de narrador em nossa história e a forma que ela assumiria”.