O pessoal da Slightly Mad Studios está incomodado com as declarações feitas pela Turn 10, e não tem qualquer vergonha em demonstrar seu desgosto. Durante a apresentação de Project CARS 2 na E3 deste ano, o diretor criativo do estúdio, Andy Tudor, foi direto ao ponto: ¨vou apresentar para vocês o que é o verdadeiro Forza¨, disse ele logo de cara.

Fazendo várias alfinetadas à série da Microsoft, ele afirmou que, enquanto a concorrência se orgulha de ter clima dinâmico, Project CARS 2 tem ¨tudo dinâmico¨. Entre os exemplos mostrados pelo desenvolvedor está o fato de que todas as pistas têm condições climáticas dinâmicas e que correspondem de forma realista às diferentes estações de um ano - ele também destacou os pneus do game, que são realistas a ponto de desgastar e deixar borracha na pista (enquanto a concorrência se contenta com objetos totalmente sólidos).

Experiência completa

A intenção da Slightly Mad é criar a experiência de corrida mais completa e realista já vista até hoje. Para isso, a empresa investiu no escaneamento tridimensional de pistas espalhadas ao redor do mundo, grandes variedades de licenças e modalidades, bem como modalidades multiclasse e uma integração completa com o mundo dos eSports - tudo isso em um mesmo pacote.

Segundo Tudor, todos os carros (e são vários, com licenças de montadores como Porsche, Ferrari, Nissan e Honda, entre várias outras) estarão desbloqueados a partir do momento em que o jogador liga o game. Sem precisar passar por uma campanha longa ou usar moedinhas virtuais, o jogador vai poder usar o ¨carrão da capa¨ - novamente, uma alfinetada na série da Turn 10.

os jogadores vão encontrar um sistema de matchmaking baseado em suas licenças de placas

O diretor criativo também explicou o quanto os esportes eletrônicos são importantes para a Slightly Mad. Em Project CARS 2 os jogadores vão encontrar um sistema de matchmaking baseado em suas licenças de placas, ferramentas de transmissão e direção em todas as plataformas e competições com classifitórias semanais e finais mensais - tudo pensado para criar um clima de competição e garantir uma maior variedade de times operando em nível profissional.

A empresa também dá atenção a um público mais casual, oferecendo uma série de ajustes que aumentam ou diminuem a quantidade de assistentes de direção disponíveis. A companhia também investiu em um sistema de controles mais semelhante aos padrões adotados pelos principais nomes da indústria, aprendendo com seus erros e garantindo uma experiência imediatamente familiar - algo que pude comprovar na prática em uma sessão de testes.

Briga de cachorro grande

Finalizando a apresentação, Tudor afirmou que Project CARS 2 é compatível com a resolução 12K, com a realidade virtual e com sistemas de tela triplas com aspecto 21:9 - o que exige um PC de respeito (e é outra alusão clara ao 4K de Forza Motorsport 7). Confesso: comparando as demonstrações disponíveis no showfloor da E3, o game da Microsoft me pareceu muito mais bonito. Mas, também, isso pode ser explicado porque o jogo da Slightly Mad estava rodando em um PS4 comum, enquanto a concorrente rodava no novo (e sensacional) Xbox One X.

No entanto, o diretor criativo garantiu que a versão exibida era somente o ponto inicial do jogo, que roda, no mínimo a 60 quadros por segundo na resolução 1080p. E você, quem acha que sai ganhando nessa briga? Ou acredita, assim como eu, que o mais importante é escolher um game que seja divertido e deixar os outros se divertirem com suas escolhas? Comente sobre o assunto em nossa seção de comentários.