Por mais que praticamente todos os gamers tenham ficado alucinados com o anúncio do remake de Final Fantasy VII, um bom número de pessoas simplesmente não conseguiu deixar de se perguntar: por que revelar o título só agora, sendo que os fãs pedem um novo FFVII há anos? A resposta veio do próprio Tetsuya Nomura, diretor do remake (bem como de vários projetos de peso da Square Enix, é claro).

“Por que agora? Esta semana, na E3, nós anunciamos diversos títulos chegando ao PS4: não apenas FFXV, Kingdom Hearts 3 e World of Final Fantasy, mas também um novo Star Ocean e mais”, começou ele, em uma entrevista com o Engadget. “No lugar de anunciar um remake depois desses títulos estarem à venda, nós queríamos dar aos gamers algo que os faria felizes – deixá-los abertos, talvez, a comprar o PS4.”

Primeiro no PlayStation 4

Uma afirmação como essas, por sua vez, pode levar a mais um questionamento: por que a Square Enix estaria tão dedicada apenas a promover o PS4, chegando ao ponto de dar a exclusividade temporária do remake ao console?

O motivo, ao que tudo indica, é o enfraquecimento do mercado de consoles no Japão, que tem perdido cada vez mais espaço para os games mobile. Assim, reforçar a exclusividade de um dos remakes mais esperados pelo público nipônico para um console de “nacionalidade japonesa” pode ser exatamente o que eles precisam para que os gamers do país invistam ainda mais no mercado – além de alavancar as vendas do aparelho da Sony mundialmente.

Se isso será suficiente para mudar a situação em que as gigantes nipônicas dos games se encontram, no entanto, só devemos saber com o tempo.