O trailer de revelação de Beyond Good & Evil 2 foi simplesmente de explodir cabeças pelo visual espacial incrível e a modelagem invejável de personagens. Ainda na E3 2017 e depois da conferência da Ubisoft, novas informações foram liberadas sobre o projeto: uma boa e outra nem tanto.

A informação positiva é que o criador da série, Michel Ancel, comentou um pouco mais sobre o ambicioso projeto. Segundo ele, a escala da aventura galáctiva será absurda. A ideia é fazer uma simulação completa do universo em que se passa o jogo. Assim, os sistemas de planetas serão gerados de forma procedural — e a partir de um esquema tão complexo que os planetas terão até translação notável em torno de um sol, com mudança na iluminação e tudo mais.

Falando assim, não há como não se lembrar um pouco das promessas não cumpridas de No Man's Sky, mas com maior orçamento e sem tanta pressa. "As cidades podem crescer por si só, ser destruídas, conectadas com outras. Tudo está vivo e, na verdade, nada será pré-roteirizado", explica o diretor.

Além disso, Ansel comentou que você vai customizar o próprio personagem. Ele começa na base na hierarquia dos piratas e caçadores de recompensas espaciais, sem qualquer recurso, nave ou equipe.

A má notícia

Por outro lado, tudo isso vai demorar — e não é pouco. Em entrevista ao The Verge após uma demo técnica, Ansel confirmou que Beyond Good & Evil está "no dia zero de desenvolvimento". Claro que a ideia é fazer tudo com calma e deixar o mais complexo possível, mas a ausência de uma data prevista pode deixar muita gente descontente.

"Ainda há muito trabalho a ser feito. Mas nós agora realmente acreditamos que vamos fazer esse jogo", conclui.