vale a pena?
Ratchet e Clank são uma dupla que realmente fez sucesso desde que chegou aos consoles Sony, e qualquer fã de jogos de ação que conheça os títulos da dupla entende de cara os ótimos motivos que os levaram a isso.

A proposta dos heróis é simplesmente hilária, oferecendo uma aventura de estilo simples com humor muito bem elaborado e oferecendo um visual gráfico de qualidade para o console da época, o PlayStation 2, no caso.

Se você tem um PS2, vale comprar!

A aventura marcou o console Sony, permitindo uma experiência engraçada e bastante diversificada, o que garantiu à dupla visitas ao PlayStation Portable e ao PlayStation 3. Secret Agent Clank é o primeiro jogo da franquia Ratchet & Clank para o PSP, e recebeu uma adaptação para o PS2 meses após seu lançamento.

Diversidade e muito bom humor

O bom humor é uma característica primordial desta franquia, e não poderia faltar também neste título. A aventura coloca o jogador na pele do robô Clank, que deve infiltrar-se como um agente secreto, com o objetivo de resgatar seu parceiro e amigo, Ratchet.

Durante a missão, porém, o jogador irá entrar na pele de outros personagens, como o próprio Ratchet, que está em uma prisão muito hostil para um defensor da justiça no Universo, e deve sobreviver aos “banhos de sol”, lutando contra os outros presidiários.

Além disso, um outro trecho do jogo coloca Clank para escapar de diversos sistemas de segurança inimigos, como robôs armados, câmeras e lasers desenvolvidos para cortar quem os tocar.

Com um brinquedinho desses, dá para ser feliz!

Porém, para escapar de tantos sistemas de segurança diferentes, o jogador não controla Clank diretamente, mas sim através de um método rítmico, onde os botões círculo, X e triângulo do controle devem ser pressionados no momento correto, em um mini game que lembra muito o estilo de jogabilidade visto em Guitar Hero e Rock Band.

O trecho é muito engraçado e divertido, embora seja um ótimo exemplo de como os checkpoints do jogo são muito distantes entre si. Muitas vezes o jogador, após esquivar-se de quase todos os sistemas de segurança do percurso, “morre na praia” ao cometer um pequeno deslize na última etapa.

Chegando lá, porém, mais comédia: o personagem (Clank) dá de encontro com um biscoito da sorte onde existem informações revelando o possível paradeiro de seu parceiro e amigo, e parte em busca do lombax Ratchet.

Câmera mal desenvolvida


Tendo sido transportado do PlayStation Portable para o PlayStation 2, o jogo oferece uma experiência rica também no console de mesa, sendo que o único defeito observado por nossa equipe com relação à jogabilidade é a câmera, cujo controle é rígido e pouco eficaz, dificultando, em muitas vezes, a visualização do cenário e, principalmente, o combate.

Os fiéis e hilários seguidores de Clank

Excedida esta questão, o resto da experiência de nossa equipe com Secret Agent Clank foi muito satisfatória, principalmente levando em consideração a possibilidade do jogador escolher a forma mais eficiente de realizar suas investidas no jogo.

Apesar da proposta de Secret Agent Clank ser num estilo mais voltado à espionagem, onde o jogador deve movimentar-se sutilmente buscando não ser percebido pelos adversários, é possível “dar a cara a tapa”, enfrentando-os cara a cara, porém na maioria das vezes essa iniciativa será muito mais difícil.

O resultado final é uma experiência plenamente válida: seja no PlayStation 2 ou no PlayStation Portable, Secret Agent Clank cumpre a proposta de divertir com simplicidade, bom humor e muita inteligência.